Mestranda em Educação Física, a aluna-atleta venceu o JUBs Acadêmico 2018

 

Felipe Augusto – CBDU

 

“Mãe, vou para os JUBs”, disse a filha. A mãe respondeu: “Mas nem sabia que você tinha conseguido índice”. A filha replicou: “Não, mãe. Não é para a natação, é para o JUBs Acadêmico”. Aryelle Malheiros Caruzzo, de 24 anos, participou da 66ª edição dos Jogos Universitários Brasileiros trazendo a teoria, com base na prática. Pelo terceiro ano seguido, o evento contou com a modalidade acadêmico, onde se classificam ‘os melhores artigos científicos selecionados pelas FUEs durante o período de competição das modalidades individuais dos JUBs’, conforme cita o regulamento da competição.

Aryelle garantiu a primeira colocação no JUBs acadêmico 2018. Foto: Thiago Duarte – Kaizen/CBDU

 

Aryelle terminou com o ouro no peito na categoria individual, com a nota 8,25, e por instituições de ensino. Formada em Educação Física e mestranda na mesma área na Universidade Estadual de Maringá (UEM), ela decidiu lutar para representar o Paraná após ir na edição passada, como estudante, para fazer a pesquisa empírica do tema do artigo apresentado e ver que o Estado não tinha nenhum trabalho inscrito. “Não vou falar que tinha a autoconfiança de dizer que ia ganhar, mas disse que ‘ano que vem eu quero participar’”, lembra sobre a participação agora cumprida.

 

A educadora física apresentou o artigo “Análise da relação entre o relacionamento treinador-atleta e experiências esportivas”, que é paralela à dissertação de mestrado dela. No texto, ela trabalha o entendimento de quanto a percepção desse relacionamento pode influenciar na vida universitária. Os resultados, segundo ela, foram positivos nos dois lados, pois quanto melhor é esse relacionamento, melhor são as experiências esportivas. Os atletas e treinadores analisados na pesquisa são os que participaram dos JUBs 2017, em Goiânia.

 

“Quanto mais eu me sinto próxima do meu treinador, menos eu vou apresentar comportamentos de risco. Isso influencia tanto no contexto esportivo-universitário, quanto no contexto universitário como um todo, pois antes de ele ser um atleta universitário, ele é um universitário”, complementa a mestranda, que cita que o equilíbrio entre as duas áreas é o ponto chave para manter o rendimento em nível adequado.

 

Segundo a análise, os alunos-atletas podem demonstrar comportamentos diferentes dentro e fora (nos treinamentos) da sala de aula. “É muito interessante mostrar para essa galera, que a área de pesquisa pode ser muito vívida entre eles”. Ela espera que a modalidade continue crescendo e que mostre aos atletas o quão ampla é a relação entre universidade e esporte de alto rendimento.

 

Na classificação por instituições de ensino superior, ela contribuiu para que a UEM e o Paraná, também, garantissem o ouro. A nota dela e de Rhuan Rossi, que terminou em sexto no individual, fez com que ficassem com o primeiro lugar, marcando 15,61 de nota. O JUBs Acadêmico é o espaço para relacionar a teoria e a prática, a prática e a teoria.

 

Os JUBs 2018 são uma realização da CBDU, em parceria com a Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura Municipal de Maringá e da Federação Paranaense de Desportos Universitários (FPDU). Patrocínio CBDU: Correios. Apoio CBDU: Gympass e SuperBolla.  Parceria Institucional: Ministério do Esporte, Comitê Olímpico Brasileiro e Comitê Paralímpico Brasileiro.