Assembleia Geral Extraordinária teve participação da Confederação Brasileira do Desporto Universitário, das Federações Universitárias Estaduais e da Comissão de Atletas. Créditos: Bárbara Fernandes.

 

A Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU) se reuniu na última quarta-feira, 15, em Brasília, com as Federações Universitárias Estaduais e com a Comissão de Atletas para Assembleia Geral Extraordinária, com o objetivo de realizar mudanças estatutárias. A mudança no estatuto da CBDU foi necessária para regularizar a entidade dentro da nova normativa do Ministério da Cidadania, que determina a obrigatoriedade da presença dos atletas em um terço dos votos no colégio eleitoral.

A exigência faz parte da certificação 18-A, que é renovada anualmente. Para que as entidades do Sistema Nacional do Desporto (SND) recebam recursos públicos, bem como tenham isenção de Imposto de Renda – Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), a Secretaria Especial do Esporte exige o cumprimento dos artigos 18 e 18-A da Lei nº 9.615/1998.

Dessa forma, foi necessário alterar o estatuto da CBDU para adequação a norma. Porém, como a Assembleia Ordinária da Confederação está marcada para março, foi necessário convocar uma Assembleia de caráter extraordinário para contemplar a mudança estatutária até o prazo de vencimento da atual certificação 18-A: fevereiro.

 

CBDU, atletas e representantes estaduais discutem mudanças no estatuto. Créditos: Bárbara Fernandes.

 

O encontro da CBDU com as Federações – que representam os estados brasileiros mais o Distrito Federal -, foi dirigido pelo presidente da Confederação, Luciano Cabral. “Foi uma Assembleia muito boa, muito objetiva e que adequa o estatuto da CBDU a legislação atual”, disse Luciano. A CBDU também aproveitou a reunião para apresentar o Programa de Desenvolvimento das Federações (PDF), o calendário 2020 e discutir e alterar o regimento interno da entidade, que, segundo Alim Maluf – Vice Presidente da CBDU e Presidente da FISU América, regulamenta o dia a dia da Confederação.

Luciano ressaltou que a lei só veio regulamentar uma prática já feita pela CBDU, e que agora a participação dos atletas pode ser ampliada consideravelmente. Para ele a aproximação da Confederação com a Comissão de Atletas é fundamental uma vez que todas as federações, confederações e todo o sistema esportivo vive em torno do atleta. “A possibilidade de você ter o atleta participando, opinando e vendo como as coisas efetivamente funcionam é essencial para que as coisas que são decididas pelos dirigentes possam efetivamente alcançar aqueles que devem ser beneficiados, que são os atletas”, finaliza o presidente.

0 Comments

No Comment.