Não é só de esportes que vive o JUBs. Desde 2016, o JUBs Acadêmico, modalidade que tem por objetivo classificar os melhores artigos científicos, vem criando força dentro da competição.

Inicialmente, o programa era apresentado como uma mostra dentro do evento. Atualmente, conta com apresentações orais de artigos, uma banca avaliadora e lugares ao pódio.

Alunos de graduação e pós-graduação podem participar e ps artigos devem ter relação com o esporte, independente da área. Já passaram pela competição alunos de educação física, fisioterapia, jornalismo e até direito.

Os trabalhos precisam seguir algumas regras que podem ser consultadas no site da CBDU e passam por uma Comissão de Avaliação que analisam desde a estrutura de pesquisa à apresentação.

Na Bahia, a modalidade durará cinco dias, dois a mais do que em 2018. O número de trabalhos inscritos este ano também já ultrapassou a última edição.

“É um compromisso da CBDU em contribuir academicamente e cientificamente com o desenvolvimento dessas atividades no Brasil. Incentiva cada vez mais os atletas universitários a se dedicarem a vida acadêmica. O número de espectadores também está aumentando durante as apresentações, então é um compromisso social da CBDU incentivar essas atividades”, explica Sandro Melo, presidente da Federação de Desportos Universitários Acreanos e responsável pela modalidade.

Em Maringá, o ouro ficou com Aryelle Malheiros da UEM-PR, a prata com Augusto Cezar Rodrigues da UFG-GO, e o bronze com Vinicius Eduardo da UFU-MG.

0 Comments

No Comment.