As atletas da Faculdade de Mauá-DF e Ufac-AC buscam subverter as adversidades em campo

Por Yasmin Cíntia Macêdo (Programa Jovens Voluntários)

Foto: Jonne Roriz/Light Press/CBDU

 

Com blocos em mãos durante a partida dos times femininos da Faculdade de Mauá-DF contra Ufac – AC me vi em uma situação um tanto inusitada. Em um dos bancos do Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras, em Salvador havia duas atletas de faculdades totalmente diferentes torcendo para ambos os times.

No primeiro tempo, com o avanço das meninas do Distrito Federal com seus 3 gols marcados, a brincadeira era mútua entre as adversárias no salão e nos bancos. Quando uma falava a outra dizia: “Olha lá, já tá a uma semana aqui e já pegou o sotaque baiano.”, enquanto isso, as risadas preenchiam o local.

Quando uma falta acontecia em meio ao jogo do segundo tempo, as atletas no assento riam com as meninas da Ufac: “Confia em mim, agora sou treinadora de vocês”. O que trouxe confiança as acreanas para o avanço do time com o seu primeiro gol na disputa.

Embora os times competem pela vaga do 9° lugar de Futsal feminino do JUBs, o espírito guerreiro ainda se mantinha presente dos chutes que mais pareciam bombas de Rochele da Ufac-AC e da velocidade surpreendente de Maryelle, camisa 13, ação que trouxe um resultado incrível de 6×1 da F.Mauá-DF contra a Ufac-AC.

Conversei com Isis Menezes, atleta da Ufac pra compreender melhor a ligação que existe entre os times femininos de futsal: “A gente tem que torcer para que o futsal continue dando certo com os outros times”. Mesmo que o seu time não tenha ganhado, ela pretende torcer para o time que ela competiu nos primeiros dias dos Jogos Universitários, o Uniplac-CE. “Eu acredito que o time de Amandinha vai levar o prêmio final. Eu espero que elas ganhem, pois a força e o apoio do público no futsal feminino estão com elas”.

E de fato, a imagem de Amandinha virou um símbolo de representatividade nos JUBs em Salvador por trazer o empoderamento feminino nos campos de futsal universitário. Além de ser estudante da Uniplac-CE, a atleta faz parte da Seleção Brasileira de futsal com inúmeros parceiros e comerciais no currículo. Amandinha pode ser apenas uma mulher comum, mas seu nome trouxe significado de união para o que todas mulheres desejam ser.

Os Jogos Universitários Brasileiros – Fase Final 2019 são apresentados pela Confederação Brasileira do Desporto Universitário. Realização: Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia – SUDESB, Governo do Estado, Secretaria da Educação do Estado da Bahia e Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia – SETRE. Comitê local: Federação Universitária Baiana de Esportes. Apoio: Spalding, Kempa, Supper Bolla e Onza. Parceria: Comitê, Secretaria Especial do Esporte e Ministério da Cidadania. Patrocínio: Governo Federal.

0 Comments

No Comment.