Confira as três cidades que receberão a Universíade e entenda a logística das modalidades, credenciamento e transporte

A Universíade de Verão, segundo maior evento poliesportivo do mundo, acontece de 3 a 14 de julho, em Napoli, na Itália. O Brasil marcará presença em oito modalidades: atletismo, futebol, ginástica artística, judô, natação, taekwondo, tênis de mesa e vôlei.

Inicialmente, esta edição da competição seria em Brasília, porém o governo do Distrito Federal  da época desistiu e assim, a Itália assumiu a responsabilidade de organizar o evento.

Devido ao curto tempo de preparação, Napoli enfrenta algumas dificuldades. Foram necessárias mais duas cidades além de Napoli para dividir as competições e delegações: Caserta e Salerno.

Modalidades

Atletismo, ginástica, natação, tênis, saltos ornamentais, judô e vela ficarão em Napoli. Já taekwondo, tênis de mesa e tiro esportivo serão disputados em Caserta. Por último, esgrima, tiro com arco, vôlei e futebol ficam em Salerno.

“A vistoria foi muito importante para conhecer toda infraestrutura que será ofertada na Universíade. Ao final da vistoria pudemos ter a informação de que o Brasil vai ficar distribuído em seis locais diferentes entre navios, hotéis e alojamentos”, conta Luciano Cabral, presidente da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU).

“Isso vai implicar em uma logística totalmente diferente das Universíades anteriores. Vamos precisar dedicar um atendimento para cada local de hospedagem com médicos, fisioterapeutas, entre outros”, continua.

Credenciamento

Todo credenciamento será feito na chegada, diretamente no aeroporto. Os integrantes da delegação devem passar pelo desk center para a retirada da credencial temporária.

Já a retirada das credenciais definitivas será feita no Porto de Napoli em até 24h após a emissão da temporária.

Transporte

Ônibus serão dedicados para treinos e jogos, além de transfer entre as vilas para deslocamento e shuttle para credenciados que queiram assistir as competições. Todos os credenciados também terão acesso ao transporte de competição e ao transporte público da cidade.

“Será uma Universíade bem diferente das outras que participamos. Os locais de competição atendem perfeitamente, a maioria não são equipamentos novos, muitos estão em plena reforma, tem muita coisa para ser feita e, considerando que faltam menos de 100 dias, é um grande desafio para o Comitê Organizador entregar tudo a tempo. Nossa leitura é que devido a divisão da hospedagem e logística apresentada, vamos ter algo como quatro ou cinco mundiais e uma mini Universíade ocorrendo simultaneamente na mesma cidade. Nosso desafio é organizar o atendimento a nossa delegação para oferecer as melhores condições dentro deste formato”, explica Cabral.

“Mas nós brasileiros, em especial, não devemos cobrar nada, muito pelo contrário… Devemos ajudar nas soluções, pois a Itália está realizando em um curto espaço de tempo uma Universíade que foi atribuída ao Brasil e o Brasil acabou desistindo de realizar”, completa.

0 Comments

No Comment.