Competição, realizada entre a CBDU e o CPB, acontece no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo

 

Com informações do CPB

Luciano Cabral abriu os Jogos Paralímpicos Universitários, em São Paulo. Foto: CBDU

Sete medalhistas paralímpicos estão entre os 252 atletas que participarão dos Jogos Paralímpicos Universitários 2018 a partir desta quinta-feira, 10. O evento ocorrerá até sexta-feira, 11, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. Os estudantes de todo o Brasil disputarão sete modalidades: atletismo, bocha, judô, natação, parabadminton, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas. A cerimônia de abertura foi realizada nesta quarta-feira, 9, no CT.

Durante a abertura, o presidente da CBDU, Luciano Cabral, falou sobre o aumento no número de participantes e a parceria entre a Confederação e o Comitê Paralímpico Brasileiro. “Para a CBDU, é uma satisfação enorme ver o aumento do número de participantes nesta terceira edição dos Jogos Paralímpicos Universitários. Praticamente triplicou com relação à primeira edição, o que mostra o acerto que foi a parceria entre o CPB e a CBDU, em investir os recursos da Lei Agnelo Piva nesta competição, e os frutos disso é que além do engrandecimento quantitativo e qualitativo da competição, nós temos aqui sete medalhistas paraolímpicos participando”, destacou.

Luciano Cabral também falou dos projetos futuros a curto e médio prazo para o paradesporto universitário. “Nós pudemos também definir na tarde de hoje com o CPB o aumento do calendário do paradesporto no ambiente universitário para 2018/2019. Nós passamos a ter quatro modalidades já em 2018, e em 2019 serão oito modalidades contempladas no paradesporto universitário.  Além disso, as competições são extremamente importantes, porque nesta competição encerramos a convocação dos selecionados para representar o Brasil no primeiro Parapan-Americano Universitário, que é a primeira competição do paradesporto internacional”.

Jogos Paralímpicos Universitários 2018

Cerca de 200 instituições de ensino, de 24 Estados e do Distrito Federal, estarão representadas nos Jogos Paralímpicos Universitários 2018. Vale ressaltar que a pontuação para determinar o vencedor-geral do evento se dará por universidade. Os números mostram um crescimento de 30% em relação aos participantes da edição de 2017, também no CT Paralímpico.

Um dos medalhistas paralímpicos que estarão em ação é Alessandro Silva, ouro no lançamento de disco F11 nos Jogos do Rio 2016. O estudante, natural de Santo André (SP), ficou cego devido à manifestação de uma toxoplasmose, em 2009. Aos 33 anos, o atleta faz o curso de Educação Física na Universidade de Taubaté (UNITAU).

Além dele, a mineira Ádria Santos, a potiguar Thalita Simplício, os fluminenses Wanderson Oliveira e Fábio Bordignon (atletismo), a carioca Karla Cardoso e a mineira Deanne Almeida (judô) integram o time de atletas que já subiram ao pódio em uma Paralimpíada e que competirá nos Universitários nesta semana.

“Vejo nos Jogos Universitários, além de uma chance a mais para melhorar marcas, uma nova oportunidade para quem está fazendo faculdade conviver com outros atletas. Também é importante para divulgar, nas universidades, o Movimento Paralímpico, até mesmo para os estudantes com deficiência, porque poucos conhecem o esporte e, quem sabe um dia, eles disputem o alto rendimento”, comentou Alessandro, que disputará o arremesso de peso e o lançamento de disco nos Jogos Universitários.

Fábio Bordignon, 25, também subiu ao pódio nos Jogos do Rio 2016. O fluminense de Duque de Caxias levou a medalha de prata nos 100m, classe T35. Por falta de oxigenação no cérebro durante o parto, o atleta tem o movimento de suas pernas e do braço esquerdo afetados. Antes de ingressar no atletismo, Fábio foi jogador de futebol de 7 e integrou a Seleção que foi para os Jogos de Londres 2012.

“Esse evento é uma maneira de premiar os estudantes que são atletas e que treinam com o apoio da faculdade, fisioterapeutas e treinadores em busca de elevar seu nível esportivo. Outro ponto é que atende aqueles que ainda não podem participar de etapas nacionais do Circuito Loterias Caixa e do Open Internacional, que são de alto rendimento”, disse Fábio, estudante de Nutrição da Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO). Nos Jogos Universitários, o carioca correrá os 100m, 200m e 400m.

Os Jogos Paralímpicos Universitários são organizados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), em parceria com a Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU) e o Ministério do Esporte, com apoio do Governo do Estado de São Paulo e do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF).

Serviço

Jogos Paralímpicos Universitários

Data: 10 a 11 de maio

Horários:

Atletismo (10 e 11) – 8h às 12h

Bocha (10 e 11) – 8h às 18h

Judô (11) – 8h às 12h

Natação (10 e 11) – 14h às 18h

Parabadminton (10 e 11) – 8h às 18h

Tênis de mesa (10 e 11) – 8h às 12h

Tênis em CR (10 e 11) – 8h às 18h*

Local: CT Paralímpico Brasileiro, em São Paulo – Rodovia dos Imigrantes, km 11,5 (ao lado do São Paulo Expo)

*No Clube Espéria (Avenida Santos Dumont, 1313)