Com a ignição da chama da FISU hoje em Turim, o revezamento da tocha está começando e o entusiasmo nas cidades e nos campi universitários se preparam para a Universíade de Verão 2019

TORINO – Há sessenta anos, a primeira Universíade de Verão acontecia em Torino, cidade no norte da Itália, e foi um marco para o esporte universitário. Com a tocha acesa e o revezamento das chamas da Universíade começando, a tradição foi renovada na contagem regressiva para Napoli 2019, que acontece de 3 a 14 de julho.

O presidente da FISU, Oleg Matytsin, ajudou na abertura do evento. Ele ressaltou como o revezamento da tocha é um marco que mobiliza toda a comunidade do esporte universitário.

“O maior evento esportivo para atletas estudantes do mundo está de volta para o local de nascimento da Universíade, a ensolarada e hospitaleira Itália. Como o lema dessa edição diz: será um evento único”, diz o presidente.

“Milhares de atletas do mundo todo poderão experienciar cultura e paixões fantásticas em Campânia e Napoli enquanto eles performam até seu limite. Grazie a tutti! Avanti Italia, avanti Napoli!”

Um quarteto de líderes esportivos e reitores de universidades se juntaram ao presidente da FISU para concluir os procedimentos. Um a um, eles passaram a tocha original da Universiade de Verão de 1959, antes de o Sr. Matytsin acender a chama da Universíade 2019.

Os portadores da tocha saíram da Universidade de Turim e atravessaram grandes avenidas ladeadas de granito e praças imponentes até o destino final do dia: o Castello del Valentino no campus da Universidade Politécnica de Turim.

De Turim, a chama da Universíade segue para a Universidade de Lausanne, nesta quinta-feira, antes de voltar para a Itália, chegando a Milão na próxima segunda-feira.

A chuva de ontem deu lugar à luz do sol em um dia de céu azul colorido para um evento que terminará na costa sudoeste da Itália. Até mesmo os Alpes ao norte da cidade desempenharam seu papel, com os picos de ponta branca sendo um lembrete discreto da importância da região nos círculos esportivos universitários, independentemente da estação do ano.

Turim não é apenas o lar da primeira Universíade de Verão; é também a única cidade a receber as edições dos eventos de verão e de inverno. Napoli marcará a décima vez que a Itália receberá na cidade os melhores atletas estudantes do mundo para um evento multiesportivo de vários dias, cinco vezes cada uma para as edições de esportes de verão e de inverno.

Entre os momentos mais evocativos de qualquer Universiade, a rota do revezamento da tocha Napoli 2019 mexe com os pontos fortes e marcos culturais do país anfitrião. De Milão, a chama pula para o sul, ao mesmo tempo que passa por Patrimônios Mundiais como o Coliseu de Roma e o Vaticano, este último recebendo uma solene bênção do Papa. Em locais menos conhecidos, o percurso joga com o charme dos locais favoritos.

A chama continuará até o sul como Matera, a Capital Europeia da Cultura deste ano, antes de voltar para as cinco paradas finais na região da Campânia. Esta “turnê dentro da turnê” toca, em rápida sucessão, uma homenagem às cinco cidades (Avellino, Benevento, Caserta, Salerno, Napoli) que receberão os atletas.

O bicampeão olímpico de remo Davide Tizzano foi o primeiro a içar a tocha Universiade 2019. Um napolitano vitalício, o Sr. Tizzano é gerente de operações esportivas do comitê organizador do Napoli 2019. As campeãs esportivas locais Jessica Rossi, Marco Morello, Chiara Rebagliati e Walter Bottega também levaram a chama da Universíade pelas ruas de Torino.

Juntando-se ao presidente da FISU no palco para o processo de abertura, tivemos uma lista de pesos pesados ​​nas arenas da política e governança esportiva. Esta lista incluía Fulvio Bonavitacola, vice-presidente da Regione Campania; Gianluca Basile, Comissário Extraordinário do Napoli 2019; Gianmaria Ajani, reitora da Universidade de Turim; Guido Saracco, Reitor da Universidade Politécnica de Turim; Chiara Appendino, prefeito de Torino; Lorenzo Lentini, presidente da CUSI; e Riccardo D’Elicio, presidente da CUS Torino.

Até mesmo algumas lendas esportivas apareceram em Turim. Isso incluiu Manuela Di Centa, sete vezes medalhista olímpica no esqui cross-country. Para Di Centa, este foi um evento que não pode faltar.

“Acredito fortemente na importância do esporte e da educação de jovens, e estou trabalhando duro para promover e comunicar esses valores além dos momentos esportivos únicos do evento”, disse Di Centa, que está ajudando a coordenar as relações institucionais entre os organizadores do Napoli 2019 e FISU, Região da Campânia e outras partes interessadas, como as federações olímpicas e universitárias de esportes da Itália.

“Combinar estudos universitários com estudos de elite requer um grande sacrifício, mas isso é essencial; primeiro somos pessoas, então somos atletas. A Universíade incorpora isso”.

 

Fonte: FISU

0 Comments

No Comment.