A competição contou com disputas eletrizantes

 

Por Ana Luíza Vargas – Programa Jovens Jornalistas

 

A manhã de sexta-feira do dia 09 foi marcada por jogos importantes no vôlei de praia. Com as disputas das semifinais e logo após as finais, as duplas chegaram na Vila Olímpica de Maringá muito concentradas e animadas para o último dia da competição.

Semifinais

Os quatro jogos das semifinais tiveram início às 10h. Com muita entrega e garra, foram definidos quem chegaria nas finais da modalidade. Do lado feminino, a equipe da Uninter-RJ disputou seu jogo contra a UNB-DF e venceu por 2 sets a 0, com parciais de 21×15 e 21×11. A outra partida foi entre a UFRGS-RS, campeã no JUBs 2017, e a Unipê-PB. A equipe da Paraíba conseguiu dominar a partida e, mesmo tendo os inícios dos sets mais disputados, elas conseguiram abrir vantagem para conquistar a vaga na final, vencendo por 21 a10 e 21 a 14.

No masculino a história se repetiu: o vencedor do JUBs 2017 perdeu na semifinal. O jogo entre a Univali-SC, até então campeões, e a Unipê-PB foi pegado, mas com um placar de 21 a 13 e 21 a 15. Os paraibanos superaram qualquer dificuldade e se classificaram para a grande final do torneio. Quem também ganhou e chegou a final foi a equipe dona da casa, Unifamma-PR, em partida com a Uninter-RJ. Em um ótimo jogo e de disputa ponto a ponto, a dupla maringaense venceu, por 22 a 20 e 21 a 18, os cariocas e avançaram em busca do ouro da competição.

Finais

As disputas pelas medalhas no vôlei de praia do 66º JUBs foi de vitória dupla das equipes paraibanas. A única partida do dia que teve três sets foi entre Uninter-RJ e Univali-SC, tendo, de virada, a vitória do time catarinense. A partida, que começou com um domínio da dupla carioca (que venceu o primeiro set), acabou mudando de dono e sendo vencida pelos campeões do ano passado por 2 a 1. “Esse JUBs estava com um nível maior do que o anterior. De lembrar do ano passado que subimos no topo do pódio e ver a competição desse ano com atletas que disputam o circuito nacional, vemos que a qualidade está subindo”, relata Roger Almeida, jogador da Univali-SC. Sua dupla, Tony Junior, relembra que o primeiro jogo deles no JUBs 2018 foi contra a Uninter-RJ. “No decorrer do campeonato a gente foi amadurecendo um pouco, até conseguir ter mais cabeça e saber as horas em que dava pra forçar mais o jogo ou precisava jogar mais estrategicamente” completa o medalhista de bronze do JUBs 2018.

A outra disputa de bronze foi entre a UnB-DF e a UFRGS-RS. As meninas de Santa Catarina, que haviam vencido o JUBs no ano passado, entraram com tudo na partida para não deixar escapar a medalha de bronze. Ganhando por 2 a 0, Caroline Goerl e Victória Strehl, da UFRGS-RS, comentaram sobre o cansaço de ter jogado quatro jogos no dia anterior para conseguir se classificar as semifinais da competição. “Pegou bastante o nosso físico e então acabamos dificultando coisas que eram mais simples. Mesmo assim conseguimos fazer um bom jogo, porque mantemos a concentração e o foco para ganharmos o bronze”, comenta a atleta que viu a primeira derrota da dupla no início campeonato como uma das dificuldades para não chegar a final e ficar apenas com a terceira colocação, querendo voltar ao topo do pódio no próximo JUBs.

As finalíssimas da competição tiveram como destaque as equipes da Paraíba. Tanto no feminino quanto no masculino, as duplas venceram por 2 a 0 e levaram o ouro para a Unipê-PB. Para o técnico das duas equipes vencedoras, Rossini Freire, a preparação é tudo e ele explica que, em João Pessoa, eles possuem um Centro de Treinamento em que ele comanda, junto a outros técnicos, esses e outros atletas para chegarem em vitórias como essa. “Fomos alimentando o projeto para formar técnicos e atletas e eles são produtos dessa nova geração que está sendo formada lá”, explica.

Lydia Veríssimo, uma das campeãs do torneio, também comentou sobre a estrutura que eles possuem e da preparação que tiveram para conseguir chegar aonde chegaram. “Nos preparamos muito para esse campeonato e tivemos muito foco para conseguir a vitória. Fomos com tudo para cima das adversárias para sair com esse ouro e estamos muito felizes por levar essa medalha para casa”, afirma.

Para os meninos, foi possível ver que o entrosamento veio de berço. Gêmeos, os irmãos Rafael e Renato Carvalho de apenas 18 anos, conseguiram vencer o JUBs em sua primeira participação. “Acho que individualmente a gente foi muito bem. O começo do campeonato foi um pouco difícil para a gente, mas aí aumentamos o nível no decorrer da competição e essa final foi para fechar com chave de ouro”. A dupla estava muito feliz pela conquista do ouro, ainda mais por terem surgido como uma surpresa nos Jogos. “Esperamos voltar nos próximos anos e continuar a evoluir sempre”, finaliza os mais novos campeões do Vôlei de Praia.

Os JUBs 2018 são uma realização da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), em parceria com a Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura Municipal de Maringá e da Federação Paranaense de Desportos Universitários (FPDU). Patrocínio CBDU: Correios. Apoio CBDU: Gympass e SuperBolla.  Parceria Institucional: Ministério do Esporte, Comitê Olímpico Brasileiro e Comitê Paralímpico Brasileiro.

 

RESULTADO DOS JOGOS:

Semifinal:

Feminino:

UNINTER-RJ x UNB-DF (21×15 / 21×11)

UNIPÊ-PB x UFRGS-RS (21×10 / 21×14)

Masculino:

UNIFAMMA-PR x UNINTER-RJ (22×20 / 21×18)

UNIPÊ-PB x UNIVALI-SC (21×13 / 21×15)

 

Disputa de 3º colocado:

Feminino:

UNB-DF x UFRGS-RS (17×21 / 15×21)

Masculino:

UNINTER-RJ x UNIVALI-SC (21×13 / 20×22 / 13×15)

 

Disputa de 1º colocado:

Feminino:

UNINTER-RJ x UNIPÊ-PB (08×21 / 16×21)

Masculino:

UNIFAMMA-PR x UNIPÊ-PB (17×21 / 18×21)