O dia 5 de dezembro é marcado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o dia do voluntário desde 1985. O objetivo da instituição era promover ações de voluntariado em todas as esferas da sociedade, ao redor do planeta.

Segundo a definição da ONU, o voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social. Já no dicionário, a definição busca a etimologia da palavra, que vem do latim voluntarius e significa aquele que age por vontade própria, uma vez que voluntas, também em latim, quer dizer vontade.

Em todas as edições dos Jogos Universitários Brasileiros, o trabalho voluntário é parte essencial no sucesso da temporada. Não por acaso, a Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU) tem um programa especial voltado para a atividade. A academia de líderes voluntários recebe anualmente jovens de mais de 90 países para prepará-los a liderar os seus respectivos conterrâneos em seus campeonatos nacionais. A atleta brasileira Vanessa Messina esteve na academia no início de 2018 em Kazan, na Rússia.  “Foi muito bacana ter tido essa oportunidade. É muito legal essa capacitação, essa troca de experiências, ver como é a cultura dos outros países e ver o que conseguimos aprender com eles para colocar em prática aqui no Brasil”, comenta Vanessa.

Pedro Pontes e Vanessa Messina na academia de voluntários da FISU, na Rússia.

 

A falta de remuneração não é um fator determinante para os alunos quando se trata de JUBs. Apenas na Fase Final, sediada em Maringá, foram mais de 340 inscritos para a atividade. O estudante de Jornalismo João Ricardo Camilo, resume a experiência de ter trabalhado no maior evento esportivo universitário da América Latina:

“Ser voluntariado é muito mais do que ser parte das pessoas que fazem o evento acontecer. É um trabalho onde a gratificação é a realização no rosto das pessoas envolvidas. Isso não significa só crescimento pessoal, em doar seu tempo para a realização de alguma ação, desde um evento esportivo até um projeto social, mas também crescimento profissional: como estudante de jornalismo, o JUBs é um desafio de encarar a rotina do jornalismo na prática e ter a experiência de ter participado da cobertura de um evento esportivo gigante, repleto de histórias incríveis dos melhores atletas do país. O resultado é conhecer essas histórias, poder conta-las nos principais portais de notícia do Brasil e ficar na expectativa de ser voluntário todo ano.”