Por Thaís Santos (Programa Jovens Jornalistas)

Foto: Washington Alves/Light Press/CBDU

 

No último domingo(27), o ginásio da Faculdade Social da Bahia (FSBA) foi palco para a definição das equipes de voleibol que alcançaram a medalha de bronze. Os jogos – feminino e masculino – foram caracterizados pelos sets acirrados e pela luta até o último instante pelo terceiro lugar no pódio. No grupo feminino, a equipe alagoana de M. NASSAU enfrentou a UNIP–SP – time que lutava para repetir o feito de 2018: a medalha de ouro.

O jogo foi set a set, ponto a ponto, até o último momento. A UNIP-SP, que começou a disputa vencendo o primeiro set, foi surpreendida pela reação da equipe alagoana no set seguinte, que fechou o período vencendo com o placar de 25×21 – empatando e mantendo-se ativa no jogo. A equipe paulista não se deixou abalar no terceiro set. A UNIP abriu larga vantagem ao aproveitar os erros do time oponente, forçando o bloqueio do grupo adversário e conquistando pontos com sua defesa: o bloqueio duplo – a bola parecia não passar no muro formado pelas meninas da UNIP. Foi um set difícil para a M. NASSAU-AL que findou com a parcial de 12×25.

Mas foi no quarto set que a pressão da equipe alagoana modificou o jogo. Era necessário uma vitória para que o time se mantivesse vivo na disputa. E foi isso que as meninas fizeram. Dessa vez foi a UNIP-SP que não conseguia ultrapassar o bloqueio da outra equipe, o grupo paulista não conseguia virar as bolas que caiam em sua parte da quadra. Em cada ponto o que se sentia era muita vibração das meninas da M. NASSAU que conseguiram empatar o jogo, levando a decisão para o quinto e último set. E que set! Os rallys aumentaram, o jogo ficou mais pegado, a bola insistia em não cair, os pontos demoravam a aparecer. Mas, surpreendendo o favoritismo da UNIP-SP, foram as meninas vibrantes da M. NASSAU-AL que venceram o período, conquistando a medalha de bronze – esta regada por muitas lágrimas e abraços no final do jogo.

Ao ser questionada sobre todo o período da competição, Mariana Thaís, central do time alagoano e um dos destaques da partida, diz que foi uma honra participar do JUBs. “No ano passado a gente não participou devido um acontecimento fatal com a nossa equipe, perdemos uma pessoa muito importante. E a nossa inspiração sempre foi essa pessoa: Moanna Galvão. Ela nunca será esquecida”. Moanna era ponteira do time e faleceu em um acidente de carro ao retornar de uma competição em João Pessoa (PB) em maio de 2018. Mariana ainda compartilhou sua felicidade por saber que o pódio deste ano poderá ter duas equipes nordestinas: “Agora o nordeste está entre os três, vamos torcer para as meninas do Ceará serem as campeãs”.

 

DOCTUM repete feito de 2018

A equipe masculina capixaba da DOCTUM disputou o terceiro lugar com o time de CELSO LISBOA–RJ. A partida foi de tirar o fôlego, seguindo o exemplo do jogo feminino entre M. NASSAU–AL e UNIP–SP, e o placar final foi decidido no último set, com diferença de apenas dois pontos.

A equipe da DOCTUM começou o jogo vencendo os dois primeiros sets (25×23/ 25×19). Mas o time carioca de CELSO LISBOA mostrou que ainda estava presente na disputa e igualou o placar ao fechar os dois sets seguintes com uma vitória significativa (15×25/ 20×25), levando a decisão final para o último set.

A torcida, ainda que reduzida, vibrava com cada lance da DOCTUM – a equipe conquistou a medalha de bronze em 2018. O time começou o set decisivo preocupado, mas com a vitória em mente. Foi um período marcado por longos rallys, belíssimas defesas e grandes bloqueios de ambas as equipes. O placar mostrava o alto nível da competição (10×11/ 12×12/ 14×14/ 15×15, era ponto a ponto), não havia  bola perdida. Mas somente um time poderia ganhar, e esse time foi o DOCTUM que abriu dois pontos de vantagem com dois belos saques no grupo adversário (18×16). O placar final foi de 3 sets a 2.

Ao comentar sobre a última partida, Sílvio (29), jogador do CELSO LISBOA-RJ, comentou que a disputa foi decidida nos detalhes. “O adversário, nos últimos dois pontos, fez um saque muito forçado em que a gente não conseguiu controlar. E, felizmente, eles também tiveram muitos méritos, defenderam bastante, sacaram bem, aproveitaram os contra-ataques e a gente não soube fechar o jogo na hora que precisava. Deixamos escapar o bronze nos detalhes”, disse.

O atleta também elogiou muito a escolha da Bahia para o JUBs 2019, bem como toda a estrutura do evento, mas fez ressalvas quanto ao nível técnico da arbitragem escolhida para os jogos.

Sobre os JUBs 2019

Os Jogos Universitários Brasileiros – Fase Final 2019 são apresentados pela Confederação Brasileira do Desporto Universitário. Realização: Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia – SUDESB, Governo do Estado, Secretaria da Educação do Estado da Bahia e Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia – SETRE. Comitê local: Federação Universitária Baiana de Esportes. Apoio: Spalding, Kempa, Supper Bolla e Onza. Parceria: Comitê, Secretaria Especial do Esporte e Ministério da Cidadania. Patrocínio: Governo Federal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

0 Comments

No Comment.