Por Carolina Araújo e Maína Chaffin – Programa Jovens Jornalistas

Herói: ser humano que executa ações excepcionais com coragem e bravura. Essa é a campanha “Você Herói” lançada pela Confederação Brasileira de Desportos Universitários (CBDU) para os Jogos Universitários Brasileiros (JEBs) em 2019. E foi assim que os atletas do Beach Soccer iniciaram os jogos de praia, no parque Sarah Kubistchek, situado na Capital Federal. Debaixo de um mormaço, as equipes masculinas da Universidade de Brasília (UnB) e do Centro Universitário Maurício de Nassau (Uninassau) de Pernambuco deram partida ao campeonato em um jogo muito disputado. A equipe brasiliense bem que tentou, mas os pernambucanos levaram por 6 x 5.

O time nordestino conta com seu herói, Danilo Gomes. O atleta, e também estudante de Educação Física, tem 24 anos e vive em Recife (PE). Além dos treinos e universidade, ele ainda trabalha como barbeiro. O jogador conta que tem contato com o esporte desde criança. “Comecei a jogar futebol de areia aos nove anos. Hoje tenho 24 e nunca parei de jogar”. Danilo ressalta que consegue conciliar bem suas tarefas. “Dou um jeito de trabalhar, de ir para a faculdade, dou um jeito de treinar a hora que tiver. Jogo pela faculdade há três anos e também sou barbeiro”. Os treinos são realizados três vezes por semana obrigatoriamente, mas nos finais de semana não há folga e o trabalho continua.

O segundo jogo da manhã foi muito corrido e com bastante faltas. A partida foi disputada entre a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e o Centro Universitário Ateneu (UniAteneu) do Ceará. Foram momentos de muitos lances bonitos e disputadíssimos. Os Cearenses ganharam por 7×6. O artilheiro da partida foi o jogador da UniAteneu, Savio Gonçalves, com quatro gols. Mas o time Potiguar não abaixou a cabeça. Foram valentes até o final. Seu capitão, Jokassio Diniz, 23 anos, estudante de Gestão de Políticas Públicas, marcou três gols na partida e destaca o esforço para se preparar para os jogos. “Nossa modalidade é futebol de campo, mas nos preparamos, em um tempo reduzido, para o Beach Soccer”. Ele frisa que é preciso ser bom no esporte e ter um diferencial na sala de aula. “A gente tenta equilibrar os horários dos treinos de acordo com os das aulas. Treinamos as segundas, quartas, sextas e sábados”. O estudante é bolsista-atleta da UFRN.

A última partida da manhã foi entre a Faculdade Mauá do Distrito Federal e a Universidade Salgado de Oliveira (Universo) de Goiás. Foi o jogo mais disputado dentre os já ocorridos. O time brasiliense perdeu muitos gols e deixou o adversário goiano encostar. A partida terminou empatada em 6×6 após os três minutos de prorrogação e ainda teve gol anulado da equipe de Goiás, indo para a disputa de penalidades. Mas, nos pênaltis, a equipe goiana foi melhor marcando dois e a brasiliense nenhum. O atleta da Faculdade Mauá, Felipe Santos, diz que a rotina é árdua e destaca a campanha dos jogos “Você Herói”. “É uma rotina muito intensa de atleta e estudante. Tem que gostar muito e se esforçar muito. Não é fácil essa rotina”.

A tarde começou com um clássico cearense: a Universidade Federal do Ceará ganhou de 8 a 4 da Universidade de Fortaleza. Em um jogo difícil, a UFC levou a melhor nas areias do Parque da Cidade.

Depois foi a vez das meninas dos times cearenses UniFor e UniAteneu. Grande campeã do ano passado, a UniFor demonstrou que continua com ótimo desempenho durante a partida e garantiu a vitória com um placar de 9 x 2.

Camisa 5 da UniFor e aluna do curso de educação física, Claudiane Pauline, 23, foi um dos destaques da partida marcando um belíssimo gol. A atleta, natural da cidade Cruz do Espírito Santo, fazia parte de outra universidade quando recebeu o convite da Unifor para integrar a equipe de futsal e beach soccer em 2016, devido à boa performance que demonstrou. “Recebi o convite da Unifor quando jogava por outra instituição em um campeonato brasileiro”, conta a atleta.

Com a oportunidade da bolsa de estudos, Claudiane também teve que lidar com o desafio de ir morar em outro estado longe da família. “Mudei sozinha para Fortaleza para morar no apartamento das atletas da Unifor”, explica a jovem e complementa “Nas férias sempre volto para minha cidade para reencontrar minha família”.

O segundo confronto do Beach Soccer feminino ocorreu entre a equipe Cearense da UFC e a equipe Potiguar da UFRN. Estreante no campeonato, a equipe da UFC conquistou o placar de 3 x 1.

Atleta da UFC Paloma Abreu, 24, dona de dois dos quatro gols marcados durante a partida, estuda engenharia civil na mesma instituição desde 2014. A jovem foi incentivada pelo pai na infância a praticar futsal e mesmo com a falta de oportunidade para meninas e mulheres que desejam seguir a carreira no esporte, Paloma conseguiu se destacar. “Desde dos meus oito anos tenho o apoio do meu pai, ele foi atrás de uma bolsa para mim em um colégio particular”, conta a jovem.

Após ingressar na UFC pelo Enem, Paloma pode dar continuidade a prática da modalidade na equipe feminina da universidade. Hoje, a mesma equipe de futsal integra a de beach soccer. Há dois anos comandando o time o técnico Wildner Lins, 43, comenta que a estreia do time foi bastante proveitosa mesmo levando um gol no início da partida. Segundo Lins o resultado inicial adverso na estreia impulsionou o time a crescer na competição. “O que parecia ser ruim passou a ter um valor muito significativo”, afirmou o técnico.

Para finalizar o dia, mais dois jogos do masculino: a atual campeã, UniNassau de Pernambuco, enfrentou a Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Os pernambucanos vencer por 6 x 2. O último jogo foi do time da Universidade de Brasília. Mesmo jogando em casa, a equipe perdeu de 7 x 0 para a UniAteneu do Ceará, vice-campeã do JUBs Jogos de Praia 2018.

0 Comments

No Comment.