Chyenne Haddad faz do esporte o elo entre o Taekwondo e o Acadêmico

Chyenne Haddad, estudante da Universidade São Judas Tadeu (USJT/ FUPE-SP) é uma das participantes do JUBs eSports 2020 e estreou na modalidade Acadêmico – avaliação de artigos científicos. O que nem todos sabem, é que ela também é atleta e já representou a CBDU em algumas competições mundo a fora pelo Taekwondo.

Chyenne durante sua apresentação na modalidade Acadêmico no JUBs eSports 2020.

A estudante atleta conta que, logo que ficou sabendo da modalidade Acadêmico, correu conversar com o seu professor para participar. Entre planejamento e execução, Chyenne levou apenas 2 semanas para elaboração de seu artigo científico “Guerra, doping e medalhas: a politização do esporte pela União Soviética durante a Guerra Fria”. Estudante de Relações Internacionais (RI), ela declara que amou a experiência e já pensa em temas para as futuras oportunidades, “achei super empolgante! Eu sempre gostei de estudar e não fazia ideia dessa modalidade”, afirma.

Para ela, esporte e educação sempre andaram juntos. Com pais professores de educação física, o exemplo veio de dentro de casa e, apesar de muito jovem, apenas 22 anos, Chyenne já planeja o futuro: “daqui a alguns anos eu quero me aposentar e passar pro lado de treinador, e assim conciliar com a profissão”, explica. Os planos são resultado da consciência da importância da graduação na vida de um atleta e da vivência como esportista de alto rendimento:

– Porque apesar de estar nova, eu já tive lesões sérias. A do pescoço eu poderia ter ficado tetraplégica ou ter morrido, fora nariz, costela e outros ossos quebrados – conta a atleta.

Para compensar a estreia e a pouca experiência na modalidade Acadêmico, Chyenne esbanja conhecimento em outra modalidade: o Taekwondo Poomsae. Aos 12 anos de idade a atleta, ainda criança, iniciou no alto rendimento, na categoria kyorugui (combate) e entrou para o banco de reserva da Seleção Brasileira Junior. Com 17 anos foi para a Coreia do Sul fazer faculdade de Taekwondo e se tornou a primeira estrangeira e brasileira a fazer o curso de graduação.

– à esquerda: Registro do 1º FISU America Games (2018). Foto: arquivo pessoal

Durante o tempo em que ficou na Coréia, a atleta também trabalhou para a World Taekwondo, federação internacional da modalidade e, novamente, conquistou o título de pioneira; foi a primeira estrangeira a ocupar o posto de membro efetivo da equipe. Chyenne conta que com eles, participou dos Jogos Olímpicos Rio 2016, do Campeonato Europeu 2016 na Suíça e em apresentações da ONU – Organizações das Nações Unidas.

De volta ao Brasil, ingressou na Universidade São Judas Tadeu (USJT/ FUPE-SP), no curso de RI, e se manteve na Seleção Brasileira de Taekwondo até esse ano. Em 2018 ganhou sua primeira medalha internacional: 3º lugar no Pan-americano sênior em Spokane. Logo em seguida, conquistou um ouro e uma prata no FISU America Games 2018, em São Paulo. No esporte universitário, Chyenne também representou o Brasil nos Jogos Universitários Mundiais (antiga Universíade) de 2017, em Taipei. Foi a primeira representante do Brasil na categoria Poomsae.

Entre tantas competições e experiências no meio esportivo, a atleta confessa que adora mesmo as competições universitárias; “elas têm outra pegada e sempre são experiências únicas quando participo”, afirma. Para ela, além da competição, é um momento de descontração, diversão e também uma oportunidade de fazer amizades.

Por fim, Chyenne deixa um conselho para aqueles que estão começando agora na dupla jornada de estudante atleta: “participem das competições e façam amizades, porque essa fase vai deixar saudades e mesmo sendo puxado essa jornada dupla, vale muito a pena”, finaliza.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Contagem regressiva! Falta 3 dias para a Premiação Melhores do Ano
FUER realiza Jogos Universitários de eSports
#LetsIDUS – Atleta brasileiro participa de campanha internacional do IDUS 2020
FISU América lança programação em comemoração ao IDUS
CBDU Social inicia arrecadação para Campanha de Dia das Crianças